Últimas
sexta-feira, 17 de julho de 2015

Eduardo Cunha oficializa rompimento com o governo Dilma Rousseff

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), oficializou, durante entrevista coletiva nesta sexta-feira, o rompimento dele com o governo da presidente Dilma Rousseff. Cunha anunciou ainda que "vai lutar' para que o PMDB faça o mesmo e que essa defesa será veemente durante o congresso do partido marcado para setembro deste ano.


A retaliação do presidente da Câmara ao governo Dilma tem como pano de fundo a acusação feita pelo lobista Júlio Camargo de que ele teria cobrado US$ 5 milhões  de propina em esquema de corrupção envolvendo contratos da Petrobras.  Cunha acusa o governo federal de orquestrar, juntamente com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o envolvimento dele na Operação Lava-Jato.

Mais em: PMDB diz que decisão de rompimento de Cunha é 'posição pessoal'

Nessa quinta-feira (16), após a divulgação da delação de Camargo, Cunha encontrou-se com o vice-presidente da República, Michel Temer, comandante do PMDB, para tratar do rompimento com o governo. 


A  ruptura de Cunha com o governo já era esperado por aliados e opositores do presidente da Câmara. Dentro do PMDB, Eduardo Cunha sempre foi a principal voz favorável ao rompimento do partido com o PT. Ele defendia, no entanto, o desembarque dos peemedebistas  do governo e o fim da aliança entre as duas legendas a partir das eleições municipais do ano que vem. O envolvimento dele na Operação Lava-Jato precipitou a estratégia política de Cunha de desvincular o PMDB do PT.
O propósito dele nesta empreitada é a disputa  presidencial. Na quarta-feira (15), ao lado de Temer, do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e do ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP), Cunha voltou a defender de maneira enfática que o PMDB tenha candidato próprio em 2018. Foi seguido pelos correligionários.


Nessa quinta-feira,  em café da manhã com jornalistas, o presidente da Câmara reiterou ataques ao PT: "Não aguentamos mais não disputarmos a eleição e ficarmos perto do PT. Ninguém aguenta mais aliança com o PT"; "Estamos doidos para pular fora (do governo)"; "Um partido que não quero na aliança com o PMDB é o PT".


Tropa de choque
A pedido do presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Arthur Lira (PP-AL), a equipe técnica da Câmara dos Deputados fez um levantamento para traçar como seria a tramitação interna de um eventual processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Lira é tido como aliado de Eduardo Cunha e integrante da chamada tropa de choque do presidente da Cãmara. Hoje, ele conta com o apio de 206 dos 513 deputadas da Casa. Esse parlamentares integram as chamadas bancadas  religiosa (evangélicos, principalmente), ruralista (proprietários do meio rural) e da bala (delegados e policiais, entre outros profissionais ligados à segurança pública).


* Com informações do EM.com.br
  • Comentar com o Google +
  • Comentar com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários serão publicados após aprovação. Comentários com ameaças, ofensas pessoais, pornografia infantil, conteúdos preconceituosos ou qualquer outro que viole a legislação em vigor no país serão excluídos.
Todo e qualquer texto publicado por meio do sistema de comentários não reflete a opinião do Forquilha Portal de Notícias ou de seus autores.

Item Reviewed: Eduardo Cunha oficializa rompimento com o governo Dilma Rousseff Rating: 5 Reviewed By: Sistema F5 Ceará de Comunicação