Últimas
segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Turista japonesa diz que foi ignorada ao sofrer tentativa de estupro na Praia do Futuro, em Fortaleza

24 horas atrás, ou seja, por volta das 9:30 da manhã, eu estava correndo pelo calçadão da praia do Futuro aqui um Fortaleza, da mesma forma que para onde quer que eu viaje sempre dou uma corridinha.
Quando percebi que estava ficando meio deserto, virei para voltar pelo mesmo caminho.
Não deu tempo de correr nem 50 metros, fui atacada pelas costas, primeiro com uma paulada na cabeça e vários socos e joelhadas na cara.
Juntei todas as minha forças, foquei em fugir e comecei a gritar o mais alto que conseguia e a dar cotoveladas e socos no filho da puta. 
Isso deixou ele mais irritado e me bateu mais algumas vezes mas não desisti. Continuei gritando e me mexendo e batendo de todas as formas que conseguia.
Ele tentou me estuprar. Me agarrou e com aquela voz asquerosa disse "me dá esse peitinho". Não sei onde acertei mas dei várias cotoveladas onde e enquanto consegui para que não me tocasse.
Várias pessoas passaram pela rua e viram mas fui ignorada. Quem vinha na direção e percebia simplesmente dava meia volta ou atravessava a rua.
Não conseguindo me arrastar para areia, ele mandou entregar os pertences. Nem pensei duas vezes e dei o meu iPod. Ele mandou dar o celular. Por sorte faz tempo que corro sem celular.
Nisso veio do outro lado da rua, um rapaz mais alto e que parecia conhecer o bandido. Fiquei com medo de ser atacada agora por dois. Mas em vez disso, ele agarrou o filho da puta e mandou deixar eu ir porque era mulher.
Fugi correndo e pedi socorro para um rapaz que vinha com dois cães, pois pensei que se passeia com cães eu podia confiar. Enquanto explicava o que aconteceu, uma moça veio perguntar se eu precisar de algo e então pedi gelo. Começou a juntar muita gente e chamaram a polícia. Entrei na viatura e pediram para descrever fisicamente e desconfiaram de um bandido e foram até a casa dele e acharam o iPod, provando que foi ele mesmo.
Quando voltamos ao local onde os policiais me encontraram, havia mais viaturas e lá estava o filho da puta no camburão e reconheci.
Tive vontade de ir até lá e encher a boca dele de porrada até perder todos os dentes mas me sentia tão protegida ali dentro que preferi permanecer na viatura, e me contive em apenas dar um grito "vá apodrecer na cadeia, seu filho da puta!!!!!"
Depois disso, BO, hospital para medicar, fazer exames, falar com a delegada, fazer corpo de delito.
Um dia que era pra ter sido super relax e divertido virou tensão total.
Mas agradeço a cada instante por estar viva e não ter sido estuprada.
A gente nunca pensa que pode acontecer com a gente... Mas acontece. Quase aconteceu comigo e posso dizer que foi a pior sensação que já senti. E pode acontecer com qualquer um de vcs a qualquer hora e qualquer lugar.
Eu nunca tinha vindo pra cá, não conhecia nada e nem mesmo a fama de que naquele lugar quando pegam uma vítima eles matam, ninguém sai vivo.
Fiquei horrorizada mas não vou deixar de viver minha vida por causa de um filho da puta não! Que aliás a essa hora já deve estar pior que um zumbi de tanto que já apanhou dos outros presos e tomara que já tenha virado a bonequinha dos companheiros de cela.
Dei entrevista para TV num jornal daqui. A jornalista perguntou da imagem que depois do ocorrido estou levando a respeito de Fortaleza. Respondi que o problema não é Fortaleza em si. Poderia ter acontecido em SP, no Rio, em Curitiba... O problema é o Brasil que está mal cuidado, sem segurança suficiente, cheio de bandidagem e ninguém faz nada!!! 
Eu tive a sorte de ter forças para escapar e poder contar. Mas e se fosse alguma outra mulher com menos resistência física? Com certeza o filho da puta teria estuprado, roubado e matado.
Mas eu não vou ficar nem lamentando e nem me escondendo de medo não. Quem merece prisão é ele, não eu. Na verdade filho da puta nem tinha que ir pra prisão para comer e ter roupa lavada, banho de sol, visita íntima e sei lá mais quantas baboseiras às nossas custas. Tinha que ir é pro inferno, direto e sem escala!!! 
Daí eu falo isso e sempre vai ter alguém para defender os direitos humanos que os bandidos também têm... Eu quero que esses direitos vão pra puta que o pariu!!!!! Cadê o meu direito, o nosso direito de ir e vir com tranquilidade? De poder correr pelas praias sem ter que se preocupar se vai ser assaltado ou estuprada? Ao sermos obrigados a conviver com o medo e não ter a liberdade de poder fazer um simples passeio com segurança, já estamos órfãos dos direitos humanos.
Alguém tem que fazer alguma coisa!!! Não sabia por onde começar mas comecei por aqui. As leis precisam ser mudadas. Proteger mais o cidadão e não ficar dando regalias pro bandido. Tem que ter leis fortes que botem medo a quem pensar em cometer um crime. Saber que a pena será leve e curta só estimula a cometer mais crimes. Eu já era a favor da pena de morte. Agora mais ainda. Daí alguém vai falar "ohhhh mas e se prenderem a pessoa errada???" Então que trabalhem com perfeição para não prenderem a pessoa errada!!!
Voltei à delegacia do hospital com o diagnóstico de fraturas no zigomático e aí soube que levaram o filho da puta pro hospital pra ser medicado.... Depois de mim ele assaltou mais duas pessoas usando facão e se cortou. Falei pra delegada que devia ter deixado pegar tétano e deixar sangrando até morrer agonizando. Disse que ele chorava pelo filhinho de 2 anos. Que exemplo de pai esse filho da puta vai ser? Que futuro terá essa criança com um pai desse? Sumir do mapa seria um grande favor que ele faria ao próprio filho. Bandido assim não tem conserto não. Enquanto tentam consertar, quantas pessoas inocentes e de bem precisarão ser agredidas ou mortas?
Se eu tiver que operar vai sair tudo do meu bolso. Coisa que não seria necessário se existisse mais investimento em segurança. Se toda aquela grana roubada fosse investida em segurança e educação eu não precisaria ter passado por isso.
Lutei lutei lutei para conseguir escapar e poder falar aos meus pais que estou bem. Mas isso não é o suficiente. Eu quero que daqui a poucos anos nossos filhos e netos possam transitar tranquilos por qualquer rua, bairro de qualquer cidade, de qualquer estado deste país. Que eles precisem usar o Google para entenderem o que é violência, estupro, assalto...
Por favor quem puder compartilhe, quem souber me conte como fazer e o que pode ser feito para conseguir justiça.
  • Comentar com o Google +
  • Comentar com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários serão publicados após aprovação. Comentários com ameaças, ofensas pessoais, pornografia infantil, conteúdos preconceituosos ou qualquer outro que viole a legislação em vigor no país serão excluídos.
Todo e qualquer texto publicado por meio do sistema de comentários não reflete a opinião do Forquilha Portal de Notícias ou de seus autores.

Item Reviewed: Turista japonesa diz que foi ignorada ao sofrer tentativa de estupro na Praia do Futuro, em Fortaleza Rating: 5 Reviewed By: Sistema F5 Ceará de Comunicação